A Sala Brasil Digital do CMS Business Revolution, patrocinada pela PGMais, abrigou na manhã desta quarta um debate sobre a nova Lei Geral de Proteção de Dados. Com o mote “Se os dados são o novo petróleo, como garantir a sua proteção? E como as empresas devem se adaptar?” executivos da Serasa Experian, ThinkData e PGMais debateram com especialistas na área jurídica para concluir sobre o que muda e quais são os impactos que a nova lei traz.

Risaldo Pinheiro, superintendente de mercado de cobrança da PGMais, foi um dos participantes do painel. Para ele, vivemos num mundo onde os dados pessoais são cada vez mais captados para uso, na maioria das vezes, benéfico, mas também é preciso atenção para as más práticas. “No mercado de cobrança, esses dados são usados para enriquecer bases a fim de se chegar ao contato certo. De alguma forma seremos impactados por essa lei e por isso o amparo jurídico é muito importante”, afirma Risaldo.

Ainda segundo o executivo, será preciso analisar a partir de agora os dados internos e externos, de onde eles vêm, para onde eles vâo e o que vai ser feito com eles. “Será importante olhar para o nosso negócio mas também para o nosso fornecedor pois seremos co-responsável por tudo o que disser respeito a tais dados”, alerta Risaldo.