Paulo Gastão*

No dia 20 de novembro se homenageia Zumbi dos Palmares, que supostamente teria morrido nessa data em 1965. É o dia da Consciência Negra. Um dia para gerar reflexão sobre a inserção do negro na sociedade e até que ponto todos nós nos comportamos de maneira a realmente encarar a humanidade de forma igualitária e não de maneira diferenciada.

Um comportamento igualitário entre brancos e outras etnias requer igualdade de oportunidades. E a desigualdade social e econômica entre brancos e negros no Brasil ainda é gritante. O caminho para resolver isso passa pela educação. Governo, sociedade e escola precisam caminhar juntos nessa direção. A questão é muito mais complexa que isso mas é preciso, em primeiro lugar que o governo garanta o acesso a uma educação pública de qualidade para todos, sem distinção de raça ou cor.

A mudança deve começar dentro da escola, passando pela família, que deve ajudar no exercício diário do combate a toda e qualquer forma de discriminação e preconceito. Como em todo o resto nas nossas vidas, devemos alinhar a prática com o discurso, vamos educar nossos filhos para respeitar as diferenças, respeitar as histórias alheias. O exercício do respeito, da convivência com a diversidade deve ser alargado e estendido para os demais círculos de nossa vida. As pessoas são diferentes sim, mas não nos esqueçamos de que somos todos humanos.

Que o dia da consciência negra nos traga de fato a consciência de que somos todos iguais e precisamos todos ter acesso às mesmas oportunidades.

*Paulo Gastão é Ceo da empresa PGMais.