Quanto tempo você dedica, atualmente, no seu dia a dia, assistindo vídeos? Pare para pensar e faça as contas. Em apenas 3 anos, o consumo de vídeo na web cresceu 90%, segundo um estudo realizado pelo YouTube. A quantidade média de horas semanais assistidas de vídeo online no Brasil é de 15,4 horas. Somos a segunda nação no mundo em tempo de visualização no YouTube.

Como os vídeos já se tornaram o formato de material preferido de muita gente, as empresas começaram a usá-los para garantir mais resultados para suas marcas. Os números comprovam as vantagens desse tipo de estratégia. Uma pesquisa da Vídeo Brewery aponta que 80% das pessoas se lembra de ter assistido um anúncio em vídeo nos últimos 30 dias. E entre esse percentual que se lembra, 46% afirma ter tomado alguma ação a partir do vídeo, como olhar mais informações sobre o produto, visitar o site da empresa anunciante ou até mesmo comprar o produto em destaque.

No caso dos e-mails marketing, ferramenta de comunicação muito utilizada pelas empresas, incluir a palavra vídeo no assunto do e-mail pode aumentar as taxas de abertura em até 13%, segundo dados da Experian. E ainda, incorporar o link de um vídeo no e-mail pode aumentar em 21% as taxas de conversão.

O vídeo já é e será cada vez mais uma das principais formas de comunicação entre as pessoas e entre marcas e clientes. Estamos lidando com uma geração conhecida como nativa digital, que nasceu e cresceu em meio a um cenário de evolução das mídias, e é ela que está indicando qual é o caminho.

O mercado de cobrança já percebeu a relevância da interação por meio de vídeos e dentro do contexto de transformação digital pela qual o segmento está passando, já começou a adotar este formato para se comunicar com seu público de forma interativa e inovadora, melhorando a experiência e aumentando o engajamento do usuário.

A personalização do vídeo traz alguns diferenciais: 91% de retenção média para vídeos personalizados contra 60% para materiais sem personalização e vantagens como poder mensurar os resultados por meio do número de cliques, visualizações, taxa de retenção e controle de acesso por dispositivos.

Se você ainda não usa vídeos para se comunicar com seus clientes, que tal começar 2019 mudando isso?